terça-feira, 29 de novembro de 2016

A Horta de Novembro (2016)

Depois de um início de Outono anormalmente quente, finalmente veio alguma chuva para regar as hortas. E falando em hortas, a nossa já começa a estar encaminhada.

No final do Verão preparámos uma compostagem "express", com estrume de galinha, folhas secas, alguma erva cortada e borras de café. Passadas algumas semanas já estava pronta a usar e é este fertilizante natural que estamos a usar agora na horta. 
Como podem ver na foto abaixo, o composto já está com o aspecto de terra, só que com mais alguns nutrientes.



Começámos pela plantação do cebolo: novamente sem regos, tal como da última vez. Primeiro preparou-se a terra, usando o composto como fertilizante e no final da plantação, espalhou-se cinza. Plantámos o cebolo no local onde tinham estado as couves, para ser feita a rotação das culturas.


Como o cebolo é uma cultura que é bom precedente para a maioria das outras culturas, plantámos as couves onde esteve o cebolo. Fez-se o mesmo processo: composto, plantação das mudas sem regos e cinza.
Desta vez pusemos menos tipos de couves (apenas brócolos, penca, portuguesa, repolho) e mais espaçadas, para depois, à medida que formos cortando as primeiras, plantarmos outras mais tarde. Assim vamos tendo até ao final da Primavera, espero.


Na semana seguinte, foi a vez das beterrabas e do alho-francês. Plantámos mais quantidade, tanto de uns como de outros. Alho-francês foram 50 pés e beterrabas quase 70.


Usámos novamente o composto e fizemos a plantação também em locais diferentes de onde tinham estado da última vez.


Para preparar estes dois canteiros, tivemos que transplantar a salsa toda para o mesmo local, pois estava dividida entre os dois. Agora está toda num canto do canteiro das beterrabas. Quando fiz o transplante da salsa é que realmente tive consciência do tamanho que as raízes da salsa podem ter. Alguns pés tinham a raiz bem comprida, à volta de 20 centímetros!


Nesta parte do terreno, ao longo da Primavera e do Verão, foram nascendo uma couves-galegas, que não foram plantadas por nós. São "nascediças" de umas que os meus pais lá tiveram há uns 3/4 anos. Na altura, acabámos por deixar a maior parte delas e só arrancámos umas quantas. 

 
Agora tivemos que arrancar a maioria para podermos fazer estas novas plantações, mas abacelámos as mesmas noutro ponto do terreno, para as conservar intactas. Assim, vão conservar-se na mesma, intactas e de boa saúde, até à altura que as transplantarmos para o local definitivo.


E isto foi o que colocámos na horta, em Novembro. 

Estão ainda na lista de vegetais a cultivar:
➝ favas;
➝ ervilhas;
➝ alhos.

Na horta do quintal, ao contrário das minhas expectativas (pensava que ele tinha desaparecido), o chuchu voltou a rebentar e até já tem lá uns quase do tamanho certo para colher.

E o limoeiro, depois de o "castigarmos" com um prego, finalmente já produz limões e não só folhas e flores. Mas sobre esta operação que fizemos, eu falo noutro dia.


Uma vez mais, depois destes trabalhos feitos, fiquei de coração cheio, de orgulho no trabalho e sentido de dever cumprido. Se eu poderia viver sem horta e sem cultivar vegetais para consumir? Claro que poderia. Mas não era definitivamente a mesma coisa. 

Uma boa continuação de semana!

Boa continuação de semana!

25 comentários:

Ana disse...

Que bom Catarina, gostei tanto das tuas plantações, por aqui a horta já era, o marido não participa, mas isso eu já sabia e eu não tenho tido oportunidade de me dedicar a ela, compro todos os hortícolas a um agricultor bio que me entrega em casa semanalmente, beijinhos

Carla Ramalho disse...

Como eu gostava de ter uma horta assim, gigante. A minha "horta" não passa de uma tira de terreno com 1m x 10m junto ao muro, mas confesso que tem estado sempre com algo na terra e dá bastantes produtos (para o tamanho dela). Neste momento só temos espinafres e nabiças. Mas eu gostava de ter assim uma para não precisar de comprar nada, tudo tem um sabor melhor e sabemos o que comemos, além de dar um prazer enorme colher o que plantamos.
Por sorte, tenho um limoeiro que produz muito e ao contrário de ti, não foi necessário castigá-lo (acho que tivemos muita sorte mesmo com este exemplar lindo).
Mas agora uma pergunta: como fazes para o alho francês crescer e engordar? É que eu adoro alho-francês mas sempre que o planto, ele não cresce quase nada e fica bem fino, não sei o que estarei a fazer de mal. Já plantei em zonas com sol, em meia sombra, em terra mais seca ou mais húmida, e o resultado é sempre o mesmo. Já não sei o que fazer mas queria tanto ter uns alhos decentes :(
Beijinhos ...
Blog: Guloso qb

Isilda disse...

Li de fio a pavio e fiquei com a certeza de de que nada sei sobre os legumes que gosto de ter à mesa:-(
Beijinho e votos de Boas colheitas

Gracita disse...

Gosto de ver a sua disposição para o plantio e o cuidado que tem com as hortaliças e legumes. E com essa diversidade terá uma colheita farta minha amiga. A minha horta é bem pequena mas me dá o prazer de plantar e colher algumas hortaliças e isso me deixa feliz
Beijos e uma ótima semana

Catarina disse...

As nossas hortas repousam...
: )

Bella disse...

Linda horta e bem cuidada!

O nosso limoeiro carrega-se de limões todos os anos, graças a Deus! E dá durante quase todo o ano! O meu marido não sabe viver sem limões :D

Bjs

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Adoro ver estas hortas e penso que nas nossas cidades deveria de haver terrenos postos à disposição para a população que quisesse fazer as suas hortas o pudessem fazer.
Um abraço e continuação de boa semana.
Andarilhar

nat. disse...

Bem! Que avançados estão os teus trabalhos!
Lá pela Horta, continuamos em limpezas e remodelações na estufa...
Fora da estufa, os romanescos estão finalmente a dar o ar da sua graça, e continuo a ter couves e beterrabas... e na "casinha dos feijões" agora vou plantar as favas e ervilhas. Também tenho uns alhos prontinhos a plantar (algum conselho para os alhos? nunca plantei...)
Estou à espera que lá vá o trator para plantar tremoço no exterior... Na estufa, mais um mês e recomeça o plantio dos tomates :)
Beijinhos! e Continuação de bons trabalhos!

Zizi Santos disse...

Catarina
excelentes dicas de plantio!
se eu tivesse uma horta com certeza utilizaria suas dicas!
e vale a pena, não é ? comer do que se produz! sem agrotóxicos
com a pureza e carinho das suas mãos!
aqui, plantei umas cebolinhas em um vasinho, mas não está dando certo, ontem cortei algumas para a sopa. Acho que faltou espaço.
esses alhos que fala é o alho poró? que também chamam de alho porro ?
adoro! faço uma sopa com abobora , batata e alho que fica uma delícia!

beijinhos Catarina
obrigada pelo carinho la no Instagram!

tulipa disse...


BOM FERIADO Catarina!

Aqui estou hoje

tenho andado um pouco afastada dos blogues, dos meus e dos vossos.

Falta de motivação
outras vezes falta de tempo,
nunca falta de assunto.
Há sempre muitos assuntos no dia a dia que podem servir para fazer posts.

Tal como o seu post, bastante interessante.
é, como diz...
tivemos um início de Outono anormalmente quente
Agora já alguma chuva para regar as hortas.
Gostei de ver a explicação sobre a sua horta.


Poeta não sou
mas, também escrevo a Vida da forma que a sinto.

Daí que,
no domingo passado aconteceu a apresentação de um livro onde participei com 3 trabalhos.

Aqui está o meu post mais recente:

27 de novembro, às 16:00h
Apresentação do livro “Poetas Nossos Munícipes”
Com o objetivo de divulgar e valorizar a poesia e os poetas locais e, simultaneamente, incentivar a criatividade literária e o gosto pela escrita, atividades que consideramos essenciais na formação individual e coletiva dos cidadãos, a Câmara Municipal promoveu a 3ª edição do projeto
“Poetas Nossos Munícipes”, antologia de poesia do concelho da Moita.
Participaram nesta edição, 26 poetas residentes no concelho
ou naturais não residentes, com um total de 94 poemas.

Só um cheirinho do que li:

LUGARES DO MUNDO

Viajar é avançar!
Quero ir pelo Mundo.
Preciso de sentir a viagem.
Viajar por mim, com meus olhos e pés.
Há muitos lugares que podem ser descobertos.
É só uma questão de enveredar por trilhos.

São Miguel, Terceira ou Flores
Tudo isto é Açores.

Muitas vezes, Vitorino Nemésio
passeou pela Terceira
nos seus alongados pensamentos.
Um jardim colorido e regado por várias lagoas.
Onde os canteiros são recortados
por rios de lágrimas que brotam da encosta
em quedas de água gigantes
num permanente choro de alegria,
doce e terna nostalgia.

(continua)

SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO DE 2016
APRESENTAÇÃO DO LIVRO "POETAS NOSSOS MUNÍCIPES"
no blog:
http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/

Beijinhos.

PINTA ROXA disse...

De tudo só não gosto de alho françês. é legume que não compro nunca.
Bom resto de semana
Pinta

Isabel disse...

Que maravilha de horta, muita produção em andamento!
Por aqui a horta está em modo inverno :)
Também costumo fazer a rotação em ciclos de 3 anos: batatas/ couves e no último ano leguminosas. Mas a nossa horta está mais atrasada, ainda não semeamos o cebolo.
bom fim de semana!

Catarina disse...

Olá querida!
Realmente ter uma horta é uma benção enorme! Dá trabalho mas a recompensa de comermos o que plantamos é bem maior!!!
A tua horta continua linda mesmo com todo o frio que se tem feito sentir não pára de te presentear!!
A nossa agora está um bocadinho fraquinha, mas é de propósito pois queremos fazer lá umas alterações no inicio do ano!
Beijinho enorme e um excelente fim de semana!

Cláudia S. Reis disse...

Que bela horta :) quem me dera ter espaço para fazer algo parecido!

Horticasa hoticasa disse...

Tudo muito bem feitinho.
As couves galegas eu planto em volta das outras coisas, assim não preciso de as mudar nunca e ainda protegem as coisas novas que plantar.
beijinho

Andreia Morais disse...

Uma bela horta, que maravilha :D

r: Muito obrigada! Foi um miminho mesmo gratificante de receber.

Beijinhos e bom fim de semana*

piteis da dinha disse...

Bjsssss amiga e uma semana abençoada p/vcs

As Mulheres 4estacoes disse...

Admiro bastante quem sabe mexer com a terra e as plantas. Meu pai tinha esse dom, tudo que plantava ficava lindo.
Com certeza é bem gratificante poder colher o aquilo se planta, ainda mais com tanto carinho.
Um abraço,
Sônia

Simone Felic disse...

Olá Catarina
Queri eu ter espaço assim, aqui eu faço minha horta em vasos,
assim o cachorro não mexe, não sei se você sabe , eu tenho um cachorro jardineiro, que não pode ver eu mexendo na terra que a noite ele resolve trabalhar e no outro dia.... ele ara bem a terra kkk.
Muito bom poder cultivar nossos próprios alimentos e assim fresquinhos e com o prazer de dizer , fui eu que plantei.
Bjs

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Anajá Schmitz disse...

Olá,
que legal. Uma inspiração tua horta. O melhor de tudo é colher tudo fresquinho e sem nenhum agrotóxico. Quero fazer uma horta aqui em casa. Mas estamos com uma seca, nem aguando as coisas vem.
Bjos
tenha uma ótima semana.

Os olhares da Gracinha! disse...

A horta dá muito trabalho mas é bem gratificante!
Gostei de ver...bj

cozinha100segredos disse...

É um gosto ver uma horta assim! Sonho com uma! O problema é o jeitinho! Não tenho nenhum, infelizmente nisso não saí aos meus pais! beijinhos

Mena Almeida disse...

Bom, Catarina tens aí uma horta enorme :) adoras a agricultura :) e fazes bem, plantar e colher aquilo que nós plantamos deve ser muito enrriquecedor.
Beijinho Catarina e bom fim de semana.

PAULO TAMBURRO. disse...

Cheguei até aqui através do blog da JANICCE,CASA DE MADEIRA e ao desejar-lhe um feliz 2017, aproveito para dizer que alguma coisa me diz que este ano vamos precisar de muito HUMOR, para aguentar tudo que vem por aí.

Minha modesta contribuição é um dos meus blogs, HUMOR EM TEXTO, se quiser dar uma olhada, agradeço.

Um abração carioca.

Filha de José disse...

Ótimo sua horta.

Abraço.